sexta-feira, abril 23, 2010




Pessoal - este poema está lá no início do Blog, e como muitos ainda não me conheciam , estou postando-o novamente. Espero que leiam e gostem.


Olhares

Agora estás exposta
aos olhos do mundo
Já foram flagrados
teus amores secretos
E a noite devorou
teus mil segredos
Todos teus desejos
São rasos conhecidos
Dá adeus, despede-te !
Dos encontros clandestinos
Caíste nas lentes
do olho indiscreto
Agora estás nua
no centro do maior teatro
Partiu o espelho
em que te vias invisível
Na enorme platéia
só há olhos cretinos
E tua vida é o espetáculo
desta vil exibição
Logo tu que julgavas
o olhar como previsível
Não acreditavas
nos espiões escondidos
Agora partiu o cristal
O vento sacode os panos
aos olhos do mundo

14 comentários:

Ianê Mello disse...

Amigo, que poema lindo!

Exposta aos olhos do mundo...quando caem as máscaras não tem jeito...
gostei muito.

Apareça, inclusive para contribuir no " Diálogos".

Grande beijo.

Cris disse...

Palavras mágicas estas suas, belo poeta, parabéns! Volte sempre ao "Românticos". Obrigada.
Abraços

Graça disse...

Realmente, belíssimo poema!!!

Quando abrem-se as cortinas, caem os panos, rasgam-se os véus, nada mais existe de secreto...não há nada mais a esconder...

Ivan, tu és fera, amigo! fico encantada com teu estilo apurado, sóbrio, nobre, diferente de tudo que conheço e leio!
Se me permites, posso afirmar que sou apaixonada pelo teu modo de lidar com as palavras...
ainda não consegui definir bem, mas eu chego lá. Só sei que me encantas de uma forma extraordinária, sem exagero.
Muita riqueza. Muito obrigada pelos presentes quando venho aqui.

E obrigada pelas visitas, sempre!
Um grande abraço.

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro autor, lindas metáforas que compuseram um lindo poema... Um abraço com carinho e obrigada pela presença sempre amável em meus cantinhos de poesia.

Eurice disse...

Tuve que traducirlo :) para poderlo entender, agradezco a Google el traductos, sino que sría de mi por dios.
Estilos

Ahora usted está expuesto
los ojos del mundo
Se han capturado
sus amores secretos
Y la noche devoraba
tus mil secretos
Todos sus deseos
Se sabe poco profundas
Di adiós, di las buenas noches!
De las reuniones clandestinas
Encuentre en la lente
Los ojos indiscretos
Ahora está desnudo
el mayor centro de teatro
Se rompió el espejo
formas en las que te hace invisible
En la multitud
hay cretinos ojos sólo
Y su vida es el show
esta pantalla vil
Pronto para juzgar
mira como se esperaba
No creía
espías en la clandestinidad
Ahora llegó el cristal
El viento sacudía los trapos
los ojos del mundo

Nunca renegaré das noites underground, nunca diga adeus, porque eles fazem parte da minha vida ...
Gostei deste poema de uma tonelada de Ivan.
Bom fim de semana.
Saudações de Valência, Espanha

Belkis disse...

Estamos expuestos a los ojos del mundo y que maravilloso es poder tener esa ventana para compartir e intercambiar impresiones, para ayudar, para enseñar, para aprender, y hasta para amar. Un abrazo muy grande Iván y feliz descanso

Nilza disse...

Sempre me olhava
no meu espelho imaginário
só eu me via,
me admirava
deslumbrava-me,
longe dos olhos
espreitadores,
dancei, encenei
rodopiei
na ponta dos pés,
abracei o mundo
o mundo me envolveu,
bailei mais rápido
quis abraçar a vida
abri em demasia os braços
que tocaram no espelho
que balançou,
que caiu,
que fragmentou-se,
juntei meu cacos
apertei-o contra o peito,
quis colar...
não deu...
as pessoas, todas
estavam olhando,
aplaudindo, engedrando,
pedindo bis...
os meus pedacinhos...

Eurice disse...

Gracias Ivan, pero sino fuera por el traductor, no entendería sino pocas frases :)
No tengo ni la más minima idea de Portugues,ja,ja,ja.
Un abrazo!

Dú Karmona disse...

Que jeito mágico de escrever...
Adorei! Obrigada por mais este
Lindo vc!
bj na alma!

Jayja para tí... disse...

Es lindo tu país como si fuera un sonido de música al amor...

Rosan disse...

olá amigo.
gostei muito do poema, penso que todos estamos espostos aos olhos indiscretos do mundo, sempre a nos observar, sempre a nos despir.
gosto muito de espanhol, não sei escrever assim como o fizeste, mas entendo bem tudo que laioem espanhol...ficou ainda mais bonito o poema.

beso

Nydia Bonetti disse...

Ivan, teu poema me fez lembrar um pensamento que gosto muito: "você é o que é, quando ninguém está olhando". Boa semana, beijo!

La Gata Coqueta disse...

Mi segundo cumpleaños

Soy un intrépido pájaro
que a tu verja se acerca.
En el pico traigo
con regocijo una misiva
de azahar y tomillo

Sumisa pincelada
de aroma y sentimiento
que al trinar me recuerda,
en lejanía y con sosiego
la danza de una acacia.

Con atrevida delicadeza
te invito a mi aposento
de formas en armonía
para brindar contigo
por la esmerada compañía
que me has dedicado
en estos dos años de vida.

En la entrada te espero
oyéndose al fondo la nota
de un timple alborozado
haciendo sentir su esencia.
Asumiendo con respeto
la amistad que nos aúna
desde hace largo tiempo.

Un presente te acerco
para no ser olvidada...
como saludo un maullido
y al tacto una virtual caricia
para ti con mi aprecio.

Tuya siempre...

María del Carmen

25/04/08 - 25/04/10

Chica disse...

Maravilhoso poema,Ivan!Os olhares e suas conotações...Merecia ser republicado! abração,linda semana,chica