Radio Music Player Free Online

quinta-feira, julho 30, 2009


Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

Selo Blog de Ouro
Recebi este presente de meus amigos Almirante Águia e Wilson Marques - Grato pela escolha . Para compartilhar, vamos às regras...1. Exiba a imagem do selo “Blog de Ouro”;2. Poste o link do blog de quem te indicou;3. Indique 5 blogs de sua preferência;4. Avise seus indicados;5. Publique as regras;6. Confira se os blogs indicados repassaram o selo.Eis os meus indicados:
3) ANDRÉ DIEFENBACH http://blogopoeta.blogspot.com/

domingo, julho 26, 2009

P e d a ç o s

Pedaços partidos de mim
Dispersaram-se pelo mundo
Foram aos poucos divididos
Carregados por outros seres

N´uma lamúria sem fim
Tal náufrago moribundo
Ocupei espaços diminuídos
Cerco de números ímpares

Pedaços repartidos de mim
São só um refúgio profundo
Na biografia dos possuídos
Onde se mostram vulgares

Na penúria de um outrossim
No tempo fugaz d´um segundo
Invocando o minuto dos traídos
Vejo-os vivos em seus lugares

sábado, julho 18, 2009

Chuva

Tal uma chuva ácida
Caíram ao chão
As lágrimas tuas

Via-se a pele flácida
Nas rugas da mão
E nas costas nuas

A dor era merecida
Até a compaixão
Escorregava nas ruas

quinta-feira, julho 16, 2009


P e r i g o

A morte,
sem convite,
a levar-te
É apenas o ápice
De uma definição

Antes , porém,
a vida já te convidara
A participar de seus mistérios
Talvez sem que o percebesses
Em cada fase
da sempre curta estada

Um ensaio,
um passeio
uma fuga

A leitura do signo
do incompreensível
Talvez chamado de grande enigma
Com teus passos na escuridão
Não chegarás a lugar nenhum

O olhar perdido
na multidão
Te faz nave
sem direção

E agora,
Ereto e petrificado
Já à deriva ,
entendes o significado
De perigo

quinta-feira, julho 09, 2009

Pesadelos

Conheço um alguém
Não é conto de fadas
Não tem cara ou forma
E habita as madrugadas
Com seu escuro carma
Mas nem todas tem
Esse tal ente sinistro
Assombrando os sonos
Maldito ser do além
Nas noites acordadas
De ruidosos silêncios
Velados sem registro
Por bocas amordaçadas
Murmuram os prantos
E me conduzem refém

domingo, julho 05, 2009

D E S E J O

Era instigante o desejo

Nascido de um olhar

Era brisa em lampejo

Pela noite a desafiar

Era pecado feito beijo

Buscando o seu lugar

Era abertura do festejo

N´uma boca invulgar

Era a libido no varejo

Pronta para se comprar