terça-feira, maio 26, 2009


Crescimento

Dorme bem, saudoso menino!
Vai longe em nuvens de sonhos
Sob acordes de chuva e vento
Na bateria ritmada dos pingos

A profusão de choro franzino
Sob o pobre telhado de zinco
Que toda noite fita teus olhos
De criança em bom ritmo lento

Descansa teu corpo pequenino
Porque logo vai apertar o cinto
E muitos murmúrios risonhos
Invocarão o feroz pensamento

No tom de um verbo feminino
Copulando a hora dos adultos
Rompe-se a mão e seus cinco
Expondo o inocente ao relento

5 comentários:

Zeus disse...

Bom dia Ivamcesar,passando para te deixar o seguinte pensamento:

Não fique triste! Procure o conforto que o céu dá a todos aqueles que se conformam e aceitam as dores com resignação. Se aquela criatura que você ama acima de tudo, mais do que a você mesmo, foi ingrata com você, não fique triste: peça que o Pai a ajude e que ela se torne cada vez mais feliz... Entregue ao Pai Todo-Compreensivo aqueles a quem você ama, e ame-os você também.
Um abraço e seja feliz.

celina vasques disse...

Mais uma vez aqui etou para ler-te!
POema belissimo...sensivel...generoso!
Eu me senti criança Poeta, em alguns instantes como num filme me vi na infancia...muito boa a sensação de voltar no tempo e viver aqueles dias mágicos!
Obrigada pelo transporte para o passado que me parecia tão distante...e não é assim!

Beijos meus poeta!

Cristiano Melo disse...

Caro Ivan,
ofereço o selo violeta que é premio e representa, segundo os seus criadores,"as sensações que a cor violeta
traz para a nossa mente". Ele é dado àqueles blogues que têm algumas das sensações da cor
violeta, a saber: magia, encantamento, graciosidade, magnetismo e tudo aquilo que parece
mágico. Espero que aprecie e dê continuidade, fazendo o mesmo com os blogs que vc considera assim
abraços.
Mais informações em
http://compulsaodiaria.blogspot.com/2009/06/premio-violeta-cor-da-cor-candido-seu.html
abraços
PS: para visualizar basta ir em meu blog

tania não desista disse...

sexta passada, fiz comentário ..e sumiu! muito legal! bem elaborado! visão poética do crescimento sem deixar de lado os sentimentos e dificuldades desse lento caminhar
taniamariza

Doroni Hilgenberg disse...

Ivan.

lindo poema


Que bom se pudessemos eternizar a criança que existiu em nós
esquecer por momentos a realidade que se por vezes trás alegria, mas também fere e desilude.
bjs