quarta-feira, dezembro 29, 2010

INTRUSAS


Sabem que as pequenas
E rotineiras decepções
São aquelas dores
que quase sempre
Mofam esquecidas
em algum canto do coração
Escondidas e com vergonha
Buscam exílio
no vazio da alma ferida
Vegetam refugiadas
no lar de um ego
Herméticas ao olho
externo do mundo
Corroem em silencio
um corpo feito refém
Que sonha e deseja
excluir as intrusas
Bem antes do tempo
da metamorfose
Que transforma
todo o conjunto invasor
Numa grande
e sempre amarga
desilusão

18 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Lindo, Ivancezar!
Verdade profunda que você traz à tona em perfeitos versos...
Gostei demais, meu amigo, grande poeta!
Forte abraço.

✙Eurice✙ disse...

Me gustan las verdades que dicen tus versos Ivan
Feliz año 2011!
Abrazos!

Dú Karmona disse...

Lindos versos amigo, lindos!
bj na alma!

São disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
São disse...

As pequenas e amargas decepções do dia a dia são, efectivamente, as que mais nos magoam


Para si e para os seus, desejo um feliz 2011.

Marcia disse...

Felizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
__000000____0000000________0000______0000
_00000000__000000000______00000_____00000
_00____00__00_____00_____00__00____00__00
______00___00_____00____00___00___00___00
_____00____00_____00_________00________00
____00_____00_____00_________00________00
___00______00_____00_________00________00
_00000000__000000000_________00________00
0000000000__0000000__________00________00
____________________0|0__________________
____________________0|0__________________
____________________0|0__________________
_______000_______________________000_____
________00_______________________00______
_________00_____________________00_______
__________00___________________00________
____________00_______________00__________
______________000000000000000____________
________________00000000000_____________

Abracos,

Chica disse...

Sempre maravilhoso! Agradeço todo carinho nesse ano que está acabando e que estejamos juntos no próximo...

abração e feliz 2011 pra ti e teus! chica

Pérola disse...

Muito lindo esse poema.
To carregando sem tirar os créditos.
Muito lindo.
Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.
Parabénssssssssss.
Obrigado meu querido pelo carinho da visita.
Um feliz Ano Novo.
Brindemos: Tim-Tim.
Beijokas MIlllllllllllllllllllll.

María disse...

Quiero brindar contigo en esta noche, porque mañana no podré, por el comienzo de un nuevo año, deseándote mucha felicidad.

¡¡¡¡¡¡¡¡CHIN CHIN FELIZ 2011!!!!!!!

Un beso.

MAR disse...

Felicidades para ti, un 2011 lleno de ilusión y metamorfosis de amor y pasión.
Un abrazo grande.
mar

Sônia Silvino disse...

Ivan querido!
Feliz 2011! Saúde e paz! E mais poemas lindos, ok?
Beijos, 365!

Pérola disse...

Seja bem vindo meu querido a 2011.
Beijos carinhosos.

Janita disse...

Olá amigo Ivan.
Belo poema-analítico, do quanto podem ser corrosivas as pequenas decepções que se vão acumulando no coração de quem as sente.
Muito bem estruturado, mesmo! Parabéns.
Ivan, ainda que um pouco tarde, pelo que te peço desculpa, quero desejar-te e a toda a tua Famíla um Feliz Novo Ano.
Beijos
Janita

Belkis disse...

La desilución es una intrusa a la que no debemos permitir su paso.
Siempre es grato leerte Ivancezar.
Feliz año nuevo y mi cariño de siempre

Nilza disse...

Ivan,

Embora tardio, agradeço os votos que me enviastes e os retribuo.
Estive ausente por um periodo, e espero estar de volta por mais tempo, assim desejo.
Pequenas decepções agigantam-se se agregarmos seus fragmentos, o melhor é sempre deixa-las minusculas, mofando no baú de nossa memória.
Beijos meu querido.

Nilza disse...

Ivan,

Embora tardio, agradeço os votos que me enviastes e os retribuo.
Estive ausente por um periodo, e espero estar de volta por mais tempo, assim desejo.
Pequenas decepções agigantam-se se agregarmos seus fragmentos, o melhor é sempre deixa-las minusculas, mofando no baú de nossa memória.
Beijos meu querido.

Celêdian Assis disse...

Meu querido amigo Ivan!

Já tinha saudades de visitá-lo e de saborear o gosto da sua bela poesia.
As decepções são canais expressos para a desilusão e elas se recolhem em cantos da alma, muitas vezes inacessíveis aos comandos da razão.
Belo poema, amigo, sempre muito bom sentir a sua poesia.
Um beijo de Minas
Celêdian

aikatherine disse...

Olhos escuros são ainda hoje.
Agora o mundo é construído campos minados e outros demolida.
Há ainda um homem ama a vida.
muito realista poema. A vida é assim.