Radio Music Player Free Online

quinta-feira, outubro 29, 2009

( Estarei ausente por alguns dias - até mais ....)

Oração de Viagem

Senhor , meu Deus , Grande Arquiteto do Universo:- Hoje estou preparado para viajar - malas prontas, tanque cheio - que Tu me protejas e me guies para , como instrumento de tua bondade, espalhar paz e concórdia por onde eu passar. Livrai-me de todo e qualquer incidente para que , por primeiro, não cause danos à ninguém e ,ao depois, protege meu corpo e minha alma . Que no caminho possa contemplar todo o esplendor de tua obra divina e que ao chegar ao destino saiba agradecer as dádivas, para alimentar a mesma fé que guiará meu retorno ao lar e aos braços de minha família. Que assim seja !

segunda-feira, outubro 26, 2009


Canto da Pessoa Especial

Canto para uma pessoa especial
Pela simples razão dela existir
Afastando a veloz multidão
Enterrando a voz manipulada
Selando a vala com pá de cal

Cantar à uma pessoa especial
Significa à maldade resistir
Porque o mundo virou fração
E a bondade não é imaculada
Nem flui de um manancial

Canto para uma pessoa especial
Para ela do fino tecido se vestir
Desfilando toda sua distinção
Na passarela da vida resignada
Que aglomera muita gente igual

sexta-feira, outubro 23, 2009


Presente à namorada

Ofereço-te,meu amor, estas letras
Entrelaçadas e ajustadas
Reunidas em forma de versos

Queria mesmo dar-te flores
Mas no jardim cartazes impressos
Anunciavam as portas fechadas

Usei como caneta uns espinhos
Fiz buquê de flores pelas frestas
Com a tinta as palavras grafadas

Juntei a técnica dos perfumistas
Para dar aroma a estes tercetos
Tudo só para ti , minha adorada

quarta-feira, outubro 21, 2009






A Usina “Cuñapirú”
Uma boa polêmica vem plasmada nesta crônica que pretende saborear um prato quente de história , temperado com pimenta , aliás, da bem forte , daquela que quando agregada ao alimento provoca bastante o paladar ... ou que pelo viés literário, acenda no texto o necessário calor do convite à leitura crítica.
No Brasil, pátria amada , circula a informação de que a primeira usina hidrelétrica da América Latina foi construída na terra das Minas Gerais, em Juiz de Fora , onde foi erguida a usina Marmelo Zero, que teria sido inaugurada entre 1888 e 1889 . Foi a primeira experiência de geração de energia elétrica via recursos hídricos em solo brasileiro.
Disso não pretendemos duvidar. Mas , e aí vem o contudo, certamente, a hidrelétrica (ou seria hidroelétrica) “Marmelo Zero” não foi, definitivamente a primeira usina da América Latina,como pretendo demonstrar aqui nesta singela crônica.
Em 1882 uma empresa de mineração inglesa seduzida pela exploração de ricas jazidas de ouro na região norte do Uruguai, próximo à fronteira oeste do estado do Rio Grande do Sul, iniciou a construção daquela que foi – aí sim – a primeira de todas as usinas hidrelétricas da América Latina, instalada no povoado de “Minas de Corrales”, distrito do Departamento (município) de Rivera, há aproximadamente cem quilômetros da fronteira brasileira da cidade de Sant´Ana do Livramento/RS.
Inaugurada, portanto , no mínimo seis anos antes da usina mineira, represando as águas do Arroio “Cuñapirú” , a hidrelétrica alimentou durante muitos anos as máquinas que beneficiaram algumas toneladas de ouro, metal precioso que seguiu o mesmo caminho das riquezas extraídas por estrangeiros na América Latina – a Europa.
Diferente da usina mineira que recebeu verbas para a preservação do acervo histórico, a “Usina Cuñapirú” está em ruínas , degradando-se tanto quanto se degrada a economia do pequeno povoado de “Minas de Corrales” , onde o pouco ouro que resta está sendo ainda extraído (ou seria esvaído).
É lamentável que um patrimônio histórico dessa envergadura se encontre em tal estado de abandono , constituindo-se em mais uma clara demonstração de que a globalização é um processo que visa apenas e tão só afunilar as riquezas , pois nenhum grupo econômico estrangeiro , dos tantos que operam por aí , demonstrou o mínimo interesse em restaurar e/ou preservar a história.
Aqui, ao menos, uma crônica que visa consagrar a verdade e que deixa para os leitores a história apimentada de duas realidades relativas a duas velhas e pioneiras usinas: a mais antiga do Brasil – restaurada – e a mais antiga da América Latina – abandonada – no norte do Uruguai, no pobre e bucólico povoado de “Minas de Corrales”.

domingo, outubro 18, 2009


Acusação

Acuso-te
Oh, ser insignificante !
Perverso oportunista

Maldito sejas
Pelo mal produzido
Verme traiçoeiro

Acuso-te
Oh , besta invisível !
És pregador pessimista

Nem me olhas
Ao menos por um instante
Micróbio vigarista !

quarta-feira, outubro 14, 2009



( Para BENNY FRANKLIN , minha justa retribuição )

R e v e l a ç ã o


Confesso alimentar menos
o medo da revelação
E nutrir um temor muito maior
ao revelador
Pois já ví muitos percorrendo
a trilha do cão
Por beberem o elixir
ideológico d ´um sedutor
Posseiros da Lei divina
atraindo à salvação
E o altar santo camuflando
a mão do violador
Bombas que explodem
em nome d´uma religião
O monopólio da fé
na boca de egoísta pregador
Aliado ao discurso guerreiro
da poderosa nação
Mentira comum
de um mesmo germe matador
Então faço destes versos
minha poética revelação
Entre os credos ou ideologias
vale é o benfeitor
O legado deste poema
é chamar tua atenção
Arranquemos a máscara
De quem quer que seja
o ardiloso enganador

segunda-feira, outubro 12, 2009


C O M P A R A Ç Ã O

Quem não teme a comparação
Nunca deve ter sofrido por amor
Porque a cada capítulo passado
Da novela viva da vida real
oooOOOooo
Sempre se atravessa a desilusão
No cartão de visita do vencedor
Jaz a marca do sentimento lesado
No revelar d´um destino desleal
oooOOOooo
Onde a arte de comparar é a mão
Que acena à alegria do predador
Dando adeus a um aroma furtado
Cata _vento d ´um jardim irreal

quarta-feira, outubro 07, 2009





Participem do Blog Action Day, este é um evento anual que une os bloggers do mundo na abordagem de um mesmo assunto no mesmo dia com o objetivo de difundir a discussão em volta de uma questão de importância global.

segunda-feira, outubro 05, 2009

S e i o s

São mais que sedutores
E atraem sem meneios
Símbolo de rara beleza

Assim são os lindos seios
Por vezes se farão fatores
Da partilha em sua dureza

Rasgam fortunas em rateios
Ganham voz de promotores
Para complicação da pureza

A natureza dona dos meios
Sem dar preferência às flores
Impõe seus espinhos feios