terça-feira, junho 18, 2013

OUTROS TEMPOS

Há um estoque de histórias
Que são de outros tempos
Lembranças leves de mãos leves
De vozes doces e palavras doces

São conjuntos de outros tempos
Miniaturas de um mundo todo
Embaladas no estojo de cima
Como legado fecundo do vivido

Do que foi feito em outros tempos
Quando uma estação era um clima
Onde o banho de sol era um modo

E outro cabia na serra das neves
Mas isso tudo, em outros tempos
Arquivados em curtas memórias

3 comentários:

La Gata Coqueta disse...



Siempre que haya un hueco en tu vida llénalo de amor
No lo llenes de opacidad…

La felicidad está dentro de ti y no al lado de nadie.

El horizonte te espera, abrázalo sin temor para seguir creciendo
Sin ser un pasado ligado a la incertidumbre.

Un abrazo y miles de sonrisas
Que hago presentes
Para festejar el fin de semana.

Atte.
María Del Carmen



Evanir disse...

Procure curtir a viagem da vida,
observando cada arbusto, cada riacho,
beirais de estrada e
tons verdes de paisagem.
Preste atenção em cada ponto de parada,
e fique atento ao apito da partida.
E quando decidir descer na estação
onde a esperança lhe acenou,
não hesite.
Desembarque nela os seus sonhos.
De aquele abraço apertado nesse Dia Dos Pais ,
Que espera você na última estação .
Caso seu pai não esteja a sua espera
muitos pais estão a espera dos filhos.
De aquele abraço com um largo sorriso
o importante é saber , que nesse Domingo
esteja feliz seja como filha , filho
ou pai.
Um abraço e um beijo carinhoso.
Que seja eterna nossa amizade.
Caso gostar na postagem
deixei um mimo para você.
Evanir S Garcia.

Carmem disse...

É isso, Ivan: houve um tempo em que a voz não era esta, a voz tinha outro tom, não tão áspero, e não é do tabaco, mas sim da vida que deixou arranhões que parecem se impor na textura da voz.
O tempo muda-nos o corpo, pesa-nos na alma, embarga-nos o olhar e até nos muda a voz, meu caro.
Restam as memórias.
Conformemo-nos.
abço